A Álamo comemora 35 anos e mais uma vez aposta em uma de suas marcas registradas: a inovação tecnológica. A empresa, referência no ramo de mixagem de som e dublagem, acaba de montar um novo estúdio que está entre os mais modernos da América Latina para a mixagem de longas para cinema. Com o novo equipamento e a nova configuração do Estúdio Michael Stoll, a Álamo está habilitada para receber produções nacionais e internacionais. O primeiro filme a utilizar esta nova sala é "Blindness", do diretor Fernando Meirelles, com estréia prevista para setembro deste ano.

"A tradição da Álamo é justamente inovar. Nestes 35 anos, buscamos novos caminhos e trouxemos tecnologias que imprimiram uma qualidade internacional em nossos projetos e contribuíram para revolucionar o mercado de áudio para cinema e vídeo na América Latina. E tudo isso só foi possível porque, aliada a estas inovações, contamos com uma equipe de profissionais de ponta, talentosos e apaixonados pelo que fazem", conta Alan Stoll, presidente da Álamo.

Na nova configuração do Estúdio 6 o mesmo está equipado com dois consoles, permitindo que dois técnicos trabalhem simultaneamente no mesmo projeto, fato inédito no Brasil. As máquinas são sincronizadas, o que pode representar uma economia de 30 a 40% no tempo empregado para a mixagem de som. Outra inovação é a monitoração frontal triamplificada, que deixa um canal exclusivo para a voz. Isso permite que os diálogos usem uma freqüência que não precisa ser dividida com outros sons (não está muito certo isso mais vou pensar numa forma melhor de dizer o que representa o sistema de 3 vias).

O estúdio conta com uma área de 48m2, com pé direito de 12 metros, e tem reverberação controlada para criar o ambiente ideal para o técnico de som desenvolver seu trabalho. Na prática, estes e todos os novos recursos do Estúdio 6 se traduzem em mais agilidade na realização do trabalho, mais fidelidade sonora e maior qualidade no resultado final.

"O Brasil está se atualizando para atender a demanda que vai começar a ser cada vez maior com as co-produções internacionais. Com um estúdio como este, que pode ser comparado aos de Los Angeles outros paises (estúdios de padrão internacional), estamos prontos para receber qualquer projeto internacional", comenta o mixador Armando Torres Jr., que tem no currículo a mixagem de mais de 50 longas, entre eles sucessos como "Tropa de Elite", "O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias","2 Filhos de Francisco" ,"Lisbela e o Prisioneiro", "O Invasor" , "O Cheiro do Ralo", "Meu Nome não é Johnny" e "Chega de Saudade".

Padrão internacional

Em 1985, a Álamo foi a primeira empresa da América Latina a gravar filmes com som Dolby Stereo. A transição do analógico para o digital aconteceu em 2002 quando a empresa equipou seu estúdio com tecnologia para mixagem em Dolby Digital 5.1 para atender as demandas de cinema, publicidade, vídeo e DVD.

Se há 10 anos, os produtores dos filmes nacionais tinham que recorrer a estúdios nos EUA, Canadá e Europa para mixagem de som, essa realidade mudou bastante nos últimos anos. Antes mesmo da reestruturação do estúdio, a Álamo já realizava a mixagem de longas com padrão internacional como "Tropa de Elite", o filme com a maior quantidade de efeitos sonoros já rodado no cinema nacional.

No final, foram necessárias cinco semanas de mixagem, com momentos extremamente elaborados. Em uma das cenas de tiroteio, chegou-se a usar 120 canais de áudio. Tudo para reproduzir com a maior fidelidade possível vozes, efeitos e os diferentes sons de vários tipos de armas.

Chega de Saudade, de Laís Bodanzky, foi outro desafio para a equipe. Totalmente gravado dentro de um salão, com muitas inserções musicais, o filme também exigiu cinco semanas para ser mixado na Álamo.

Seguindo um padrão internacional, que há muito tempo já é praxe nos EUA e na Europa, as produções nacionais estão dedicando cada vez mais atenção para a mixagem de som. "é na mixagem que se equilibra as vozes, os efeitos, sons ambientes. O objetivo é deixar tudo o mais natural possível, ajudar a imprimir o ritmo do filme e permitir que o espectador embarque na história", conta Armando Torres Jr.

Nova Configuração - Estúdio 6 - Álamo
Monitoração:
  • Frontais JBL - modelo 3632 Tri-Amplificada
  • Surround JBL 8330
  • Sub Woofer - Electro Voice - TL880D
  • Potências - QSC 1604 (Frontais e Surround)
  • Potencia - QSC MX1500A (subwoofer)
  • Cross Over - Rane RPM26z
  • Gerenciador de monitor - Multimax-Ex
Projeção:
  • Tela MDI Screen Micro-Perfurada 7,50m x 4,0m
  • Projetor Mitsubishi - DLP - 2500l - contraste 2000:1
  • Projetor 35mm Philips
Mixagem:
  • 2 Consoles D-Comand 24 faders cada
  • 2 Protools HD3 accel
  • 2 MAC Pro G5 Intel - 5Gb Ram
  • Cedar Noise Reduction
  • TC Eletronic 5.1 Reverb
Plugins Waves Platinun, TC Electronic, Bundle Digirack áudio e Sincronismo Interfaces:
  • 2 Digidesign 96 i/o
  • 1 Digidesign 192 16 input - 16 output
  • 2 Digidesign Sync HD
Facilidades:
  • Video Wipe Generator
  • Internet Wi-Fi
  • Dolby DMU
  • Gravador DA88
  • Compressores Neve
  • House Machine fora do estúdio
  • DVD player